Tags

, , , , ,

capaDiariamente lidamos com a frustração de receber um “NÃO”, das mais variadas formas ele é uma constante na nossa rotina. Não na entrevista de emprego, não no pedido de aumento de salário, não no convite do amigo por uma responsabilidade com o trabalho, não para uma nova compra, não para ingressar em um programa, não para o chocolate por conta da dieta, não para um projeto idealizado, não para aprovação no vestibular, não para inúmeros desejos e vontades que alicerçam nossas decisões e que acabam interferindo na nossa postura.

Receber o não, nunca foi e talvez nunca seja agradável, pois o imediatismo prevalece à nossa visão de futuro. Não conseguimos entender que naquele momento não era hora do SIM e talvez passe um mês ou até um ano sem que a gente compreenda e aceite. O grande desafio é transformar o não em sim e isso só a gente é capaz de fazer por nós mesmos, independente das voltas que o mundo dá. E como fazer isso?

O primeiro passo é olhar de fora o que acontece durante o processo como um todo: vem o não, vem o choro, a tristeza, a mágoa, a frustração, em alguns casos a raiva, depois desse momento conseguimos sair da zona de conforto e passamos para o estágio da reflexão, somente depois da reflexão que acolhemos o não como responsabilidade nossa, não de terceiros, depois disso o incômodo toma o lugar do desespero, o incômodo vai se transformando em alívio à medida que vamos evoluindo no quesito autoconhecimento, reconhecendo nossas habilidades e nossos limites.

O segundo passo é olhar para o não como um evento pequeno na ordem cronológica dos acontecimentos da sua vida, imagine uma linha e coloque os eventos mais importantes da sua vida sobre ela, dividindo essa linha em passado, presente e futuro, com isso você vai despertar para duas coisas principais:

  • Os acontecimentos mais marcantes são os de maiores aprendizados, nas entrelinhas dos grandes aprendizados existem inúmeros “não”. A tendência é que a gente esqueça deles à medida que o tempo passa.
  • Existe uma caminhada enorme pela frente, se apegar ao não do presente ou não ter uma visão apreciativa sobre ele, irá comprometer todo progresso do seu futuro.

Nesse momento, a experiência do silêncio é o que te ajuda a transformar o não em sim e esse é o terceiro passo. Vivemos em um mundo agitado e barulhento demais, silenciar para refletir, aprender e transformar é fundamental para criar uma cultura de paz interior e não deixar que o “NÃO” comprometa nosso projeto de vida. O não vira sim quando você aprende com ele. Não é sim quando dizemos não para nossas fraquezas. Aí você pode acordar todos os dias e dizer: vai vida, bate, bate que eu aprendi a levantar!

“Todo mundo tem segredo

Que não conta nem pra si mesmo

Todo mundo tem receio

Do que vê diante do espelho”